Atendimento: Copacabana,

Ipanema e Barra da Tijuca

Telefones:

(21) 2267-0108

(21) 99949-3223 

  • Branco Facebook Ícone
  • Branca Ícone Instagram
  • Branco Twitter Ícone

© 2017 Camilla Estima.

Óleo de coco - posicionamento da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia

January 30, 2017

 

Finalmente algum órgão competente resolveu se posicionar quanto à prescrição do Óleo de Coco com objetivo de perda de peso.  A Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (http://www.endocrino.org.br/) publicou o seu posicionamento, como mostra o texto a seguir (http://www.endocrino.org.br/polemica-do-oleo-de-coco/):

 

“Considerando que muitos nutricionistas e médicos estão prescrevendo óleo de coco para pacientes que querem emagrecer, alegando sua eficácia para tal propósito;

Considerando que não há qualquer evidência nem mecanismo fisiológico de que o óleo de coco leve à perda de peso;

Considerando que o uso do óleo de coco pode ser deletério para os pacientes devido à sua elevada concentração de ácidos graxos saturados, como ácido láurico e mirístico;

A SBEM e a ABESO posicionam-se frontalmente contra a utilização terapêutica do óleo de coco com a finalidade de emagrecimento, considerando tal conduta não ter evidências científicas de eficácia e apresentar potenciais riscos para a saúde.

A SBEM e a ABESO também não recomendam o uso regular de óleo de coco como óleo de cozinha, devido ao seu alto teor de gorduras saturadas e pró- inflamatórias. O uso de óleos vegetais com maior teor de gorduras insaturadas (como soja, oliva, canola e linhaça) com moderação, é preferível para redução de risco cardiovascular.”

 

Vamos entender esse posicionamento:

 

“Considerando que não há qualquer evidência nem mecanismo fisiológico de que o óleo de coco leve à perda de peso;” à sim, não há estudos feitos com populações numerosas e nem estudos feitos ao longo do tempo (os chamados estudos longitudinais) que conseguem ver a real relação de causa-efeito como numa relação dessas óleo de coco-emagrecimento. Esses estudos são conduzidos em populações numerosas e por um longo período de tempo, são bastante sérios mas de metodologia muito complexa e com altos custos. Por isso que são os mais confiáveis, e não meramente experimentos feitos com meia dúzia de pessoas e sem que outros fatores sejam controlados para percebermos o real papel do óleo de coco no emagrecimento.

 

“Considerando que o uso do óleo de coco pode ser deletério para os pacientes devido à sua elevada concentração de ácidos graxos saturados, como ácido láurico e mirístico;” à alimentos tem alta concentração de gordura saturada como carnes com alto teor de gordura como carnes gordas, pele de frango, também tem muita gordura saturada e provavelmente você não consome normalmente.

 

O óleo de coco, como tantas outras promessas milagreiras para emagrecimento, é um belo veículo de marketing. Lembro que quando essa moda apareceu eu fui a uma feira de produtos naturais e o que mais se falava era sobre ele. Parei em um stand para conhecer o produto e conversei com o representante de vendas sobre como ele era utilizado. As sugestões: como substituto de outros produtos fonte de lipídeos (gorduras) ou proteicos(???). Em seguida questionei como poderia ser feito o uso no dia a dia, e a resposta: você pode passar de manhã no pão. Honestamente, é viável passar óleo de coco no pãozinho do seu café da manhã? Já ouvi relatos de pacientes sobre coloca-lo no café (sim, na bebida), isso é sério?

 

Bom, independente de onde você inclua ele na sua alimentação diária, você só vai estar adicionando mais gordura, e das piores formas dela, a saturada. Chega a ser curiosa essa moda visto que as pessoas querem tanto diminuir o valor calórico do seu dia-a-dia e defendem com unhas e dentes uma moda que promove o extremo oposto.

Vamos começar a olhar esses modismos de forma mais crítica? Você acha mesmo que produtos milagrosos são a sua salvação? O grande problema deles é que você, em busca de resultados rápidos ou milagrosos (a culpa não é sua e sim do marketing que te faz pensar assim), acaba acreditando em qualquer coisa e apostando todas as suas fichas nisso, criando alto grau de expectativa sobre o produto – que provavelmente não vai resolver o seu problema – e o resultado disso: pouca perda efetiva de peso, acompanhada de altos graus de sentimentos como o de fracasso e incapacidade. Outros produtos milagrosos virão por ai, então espero que no próximo você tenha adquirido um pouco mais de consciência a respeito deles e não caia no marketing que estão tentando te empurrar. Vamos descomplicar a alimentação e comer comida de verdade.

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

BLOG

Destaques

Vamos falar da Rita Lobo e a polêmica do fitness

February 15, 2017

1/1
Please reload

Arquivo
Please reload

Siga me
  • Grey Facebook Icon
  • Grey Twitter Icon
  • Grey Instagram Icon